Histórias de sucesso

LUDMILA SADA

Algumas vezes surpreendemos a nós mesmos!

Depois do diagnóstico de diabetes 2 e acelerada osteoporose na base da coluna me assustei. Envelhecer nunca foi um problema para mim (e continua não sendo), mas esses diagnósticos me fizeram entender que deveria estabelecer um outro diálogo com meu corpo.

Bem, uma das providências a tomar era exercitar-me com frequência (havia 30 anos que não fazia exercício com regularidade) e para isso precisava encontrar uma pessoa que me orientasse, mas não podia ser qualquer profissional. Tinha que ser alguém que respeitasse minha necessidade e entendesse que exercícios seriam parte da minha vida, mas não sua totalidade.

Nesse exato momento, minha irmã, que sempre foi adepta aos esportes, diz “sei a pessoa exata para te treinar.”

Dito e feito!

Comecei tímida e cheia de medo de alguns exercícios; desengonçada ao pular corda; detestando aquecimentos na bicicleta…. e por aí vai. Até que um dia consegui voltar a correr, um pouquinho de cada vez. Foi quando que a felicidade me invadiu: corri e nada doeu, estava ficando forte! Desengavetei uma conquista dos meus 20 anos: voltar a correr.

Em junho deste ano (2019) fará um ano que treino com o Cris. Trabalhamos os 3 primeiros meses juntos em uma academia, depois tive que voltar para casa (moro na Arábia Saudita). Treino diariamente e sozinha em uma sala sem equipamentos modernos. Exercícios são, agora, como me alimentar: uma escolha diária, nem sempre gostosa, mas sem dúvida alguma compensadora.

De lá para cá não deixei de fazer, um dia sequer, os treinos que o Cris prepara para mim. Ele aceitou o meu tempo, respeitou meus limites e é com ele que divido minhas conquistas: já consegui correr 13km, sob um calor de 36C, às 06h da manhã.

Todos temos habilidades dormentes que apenas as voltas da vida são capazes de acordar!